domingo, 31 de janeiro de 2016

Atualização Mensal - Janeiro de 2016 e TD com Pornstar Aline Rios

Mais uma gostosa para enriquecer o currículo d'El Rei

Salve confrades da Blogosfera Financeira e do Submundo Putanhístico!

O mês de janeiro exigiu sangue frio ao extremo para o pequeno investidor. Isso porque o Ibovespa chegou a cair mais de 10% ao longo do mês, o que certamente remeteu muitas pessoas aos idos de 2008, com o crash das bolsas mundiais e os pregões repletos de circuit breakers. Infelizmente, alguns colegas falharam, vendendo ativos e girando patrimônio, quando na verdade a hora é de migrar paulatinamente da RF para a RV. Putz, Bradesco a R$ 17,xx com lucros crescentes e margem de segurança superior a 100% é uma oportunidade clara de compra, uma das melhores atualmente, em minha singela opinião. Mas no final do mês, o índice deu um alívio, um repique esperado, o que não impediu um tremendo fechamento negativo de quase todas as carteiras.


Gráfico dolarizado do IBOV sugere teste importante da LTA de longo prazo. Em 50 anos, houve 4 grandes ciclos de alta e 3 de baixa, sendo o 4º ainda em formação. Estaríamos perto de uma virada histórica? O pessoal da Empirunukú tem razão? Hoje, no Globo Repórter!

No âmbito pessoal, ainda não consegui retomar satisfatoriamente a rotina de exercícios e dieta. Malhei apenas uma semana em janeiro e estou 4kg mais pesado, já sentindo as roupas mais apertadas (na região da cintura, obviamente). Após o carnaval, iniciarei a terapia com a psicóloga sem falta. Também sinto que estou postergando muitas tarefas e desejos em minha vida, algo que pretendo mudar em 2016. Darei andamento à minha bucket list, que foi publicada aqui.

Houve um TD com uma gata top bem interessante e famosa, por ser pornstar em ascensão. A Aline Rios já estava em minha fucking list há um bom tempo, mas eu sempre acabava preterindo-a por ser fiel à uma GP deliciosa à qual sou quase fixo há uns dois anos. Ocorre que essa minha favorita me deu uma sacaneada, o que me deixou bem chateado. Marcamos um mènage com a amiga maravilhosa dela. Seriam 4h de puro prazer e fornicação hardcore. Estava tudo certo para o encontro e parti para o local dela, dirigindo de forma alucinada com o pau quase rasgando a cueca de tanta ansiedade. Ao chegar, mandei whatsapp avisando antes de subir, como sempre faço. A mensagem não foi recebida. Estranhei. Nunca havia acontecido isso. Esperei alguns minutos e nada. "Deve ter sido problema no 3G" - pensei inocentemente. Mandei outra e nada do segundo tracinho aparecer. A bateria velha do celular em 30% e reduzindo rápido. "Caralho, sempre esqueço a porra do carregador!" - bradei em pensamento, já bolado demais. Não podia esperar muito, então mandei zap para a amiga dela. Recebo como resposta que ela estava ocupada no momento. COMO ASSIM????? Obviamente, não descarreguei a indignação na amiga dela, que não tinha culpa de nada. Eu sabia que levaria uma pisada na bola um dia, mas de uma TOP que fatura três vezes meu salário mensal e faz programas até no exterior?! Porra, onde estamos?!

Não tive alternativa e parti para o plano B antes que ficasse sem bateria. Não queria ir a termas. Mandei zap para cinco meninas inéditas, mas só duas responderam e não tinham mais horário para o dia. Compreensível, já que era noite. A Aline Rios aceitou marcar e foi muito atenciosa no pré-atendimento. Aceitou chegar em uma hora, mas se atrasou uma hora além do combinado. Ou seja, fiquei quase duas horas de bobeira no motel. Um pouco antes da moça chegar, a TOP me manda zap dizendo que eu podia subir... kkk! Depois percebeu a merda que fez e se desculpou, dizendo que colocara outro em meu lugar sem querer e que se confundira com o horário. Independente de ser ou não verdade, eu já estava puto e deixei clara a minha indignação.

A Aline chegou e é exatamente como nas fotos. É uma moça alta, cintura fina, pernas grossas e rosto marcante. Gostei muito dos cabelos longos e pretos. Chegou simpática, mas não consegui retribuir. Percebeu o clima e tentou amenizar, desculpando-se pelo atraso. Menti, dizendo que não tinha nada de mais e atribuí meu silêncio a timidez de um primeiro encontro. Não contei a ela que se tratava de um plano B para que não se sentisse desprestigiada. Ela foi se banhar e depois foi minha vez. Quase não conversamos. Quando voltei do banho, ela estava me esperando com uma lingerie que eu nem lembro direito agora. Ficou de joelho na cama e fui beijá-la. Puniu meu mal humor com um selinho e foi direto para o oral, o que eu não curti. Gosto de preliminares bem feitas e só parto para carícias nas genitálias após um tempo de interação e intimidade. Deitei-me e ela continuou os trabalhos, alternando entre olhadas sensuais (forçadas) para mim e para o espelho. O boquete estava gostoso. Ela estava sendo bem delicada, pois havia-lhe contado de minha postectomia. Tirou a roupa e aproveitei para acariciar sua vulva, que certamente estava lubrificada unicamente por ato reflexo e não excitação. Os seios da moça são naturais. Não são maravilhosos, mas não são feios e dá para chupar na boa. Pedi para ela cavalgar. Veio colocar a camisinha, mas doeu para caraleo. Desculpou-se e colocou de um jeito que não incomodou tanto. Não colocou KY como eu havia pedido por zap, mas a lubrificação natural foi suficiente. Cavalgou de frente, devagar e rebolando bastante. A poderosa é bem quente e apertada. O incômodo foi bem pequeno e estava curtindo bastante, conseguindo vislumbrar aquele mulherão enquanto segurava a ejaculação de forma heroica. Porém, ela toma a iniciativa de cavalgar de costas, sendo essa outra forma de punir-me, já que essa é a posição que as GPs adotam quando querem apressar o orgasmo dos clientes. Mesmo sentindo mais incômodo, a visão espetacular daquele rabo imenso me fez jatear em menos de trinta segundos, nessa que foi a única foda sem beijos que dei na vida. Um orgasmo lânguido, anêmico, rápido e sem um objetivo claro...

Sim, eu bombei este rabo!

Tomamos banhos separados. Ao voltarmos para o quarto, começamos a conversar. Mesmo com o primeiro tempo não muito a contento, senti as energias renovadas e já não estava mais mal humorado. Começamos a engatar assuntos interessantes e a moça foi se chegando mais. Ficamos bem juntinhos e abraçados, contando casos e dando risadas. Fui observar as tatuagens dela, que são várias. Quando peguei o pulso, ela escondeu e ficou incomodada. Disse que ali estava escrito um nome relacionado a uma história pessoal complicada. Percebi que a moça gostava de carinho e, por mais que tentasse esconder, era carente de afeto. Entendi que a falta de beijos era uma vã tentativa de não se envolver demais e se machucar novamente.

Pedi refeição e veio muito boa. A moça é boa de prato... kkk! Bucho cheio, hora de esvaziar o saco novamente. Fomos para a cama. Senti mais proximidade dela. Rolaram beijos, mas econômicos para meus padrões. Considerando o primeiro tempo, acho que foi até uma vitória. Deitei-a e fui explorar seu corpo. Chupei os peitos e e fui lamber la poderosa. Bonita, cheirosa e com um clitóris pequeno e delicado. Ela gemia baixinho e rebolava, esfregando a xoxota em minha cara. Achei que fosse gozar, mas ela logo interrompeu e pediu para mamar. Sem muitas novidades aqui: ora se olhava no espelho e ora me olhava (dessa vez, com mais sinceridade). Pedi camisinha e parti para o PPMM. Essa posição tem se mostrado a mais favorável à minha nova condição peniana. Não senti incômodo algum e consegui penetrar bem fundo. Ritmei bombadas fortes com estocadas mais vagarosas. Fui retribuído com vários beijos, mas, como antes, sem muito envolvimento. Mas a moça gostou muito da meteção e me apertava forte contra o corpo dela, enlaçando-me com suas pernas grossas e saradas. Fiquei um bom tempo assim até que ela gozou de verdade! Ficou bem ruborizada e ofegante, o que faz um bem sem igual para autoestima de qualquer macho que se preze. Apesar de eu estar gostando, não sentia que o gozo estava por vir. Sim, a falta de preliminares e beijos envolventes é uma fator que limita meu tesão. Eu já sabia qual seria o desfecho e ele ocorreu. Após ficar vários minutos no PPMM, cansei e pedi para ela vir por cima. Sentou de costas para mim como antes, mas o gozo não vinha, até que rolou aquela paumolescência esperada. Sem nenhum constrangimento, retirei o preservativo e pedi para ela chupar. El Príncipe reagiu instantaneamente, mas não pedi mais camisinha, pois sabia que só gozaria com boquete e punheta. A moça mamou bastante e ficou visivelmente cansada. Ajudei-a, batendo punheta enquanto ela chupava minhas bolas. Finalmente, após vários minutos, dei uma bela ejaculada violenta e com pressão. Praticamente não senti incômodos nessa segunda foda, o que me deixou bem feliz.

Mais um pouco de conversa e o horário acabou. Banhos tomados, conta paga e despedimo-nos com um selinho. Considerei o TD positivo pelo fetiche de transar com uma atriz e pelo fato de a moça realmente ser bonita. O sexo em si foi sem grandes novidades e a falta de beijos mais quentes e demorados pode desagradar algumas pessoas. Daria nota 7/10 mais pela simpatia da moça e por ela me salvar de uma grande pisada na bola. Não devo repetir, pois estou em processo de reconciliação com a TOP. É, como diz o velho adágio: galinha de casa não se corre atrás!

Chega de putaria e vamos à carteira:



Rendimento da carteira de ações: -2,76%
Acumulado no ano: -2,76%

IBOV em janeiro: -6,79%
Acumulado no ano: -6,79%

O mês foi terrível e não vislumbro reversão. Acho que o mercado ainda deve cair mais um pouco, mas espero estar errado. Foram adquiridas mais 300 TBLE3 com um aporte conservador de R$ 5 mil. Todavia, a vitória ante o benchmark foi digna de nota. Dados de acordo com a planilha do ADP.

Evolução Patrimonial consolidada:


Ruim, muito ruim. Estou abaixo da evolução projetada e quase perdendo o patamar psicológico dos 500k. Considerando que já fiquei mais de R$ 200 mil acima da projeção, então dá para ter noção do estrago sofrido pela carteira nos últimos meses.

Resumo:
Aporte do mês: R$ 5 mil
Operações: Compra de 300 TBLE3 a R$ 31,41
Proventos: R$ 58,06 oriundos de BBDC4 - média mensal em 2016 igual a 0,43% do salário - meta: 100%

AC/DC - Rock 'n Roll Train

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Atualização Mensal - Dezembro de 2015


Caros confrades da Blogosfera Financeira e do Submundo Putanhístico,

Finalmente chegamos ao fim de 2015, esse ano de merda onde minha vida sofreu duros baques nas finanças, na saúde e nas relações pessoais. Até meu progresso na musculação teve de ser interrompido por conta de uma postectomia e acabei acumulando 4Kg de rabanada na pança. Em janeiro, voltarei firme e forte com a dieta e os exercícios. Houve mais um TD além do primeiro em que houve o sangramento, o qual será relatado em post próprio, com detalhes. A experiência ainda não está completa. Ao menos não tenho do que reclamar das férias de fim de ano. Muita comida boa e cervejas artesanais, além de uma viagem bem divertida, onde fiz alguns novos amigos, inclusive um casado putanheiro que organiza festinhas calientes (ou surubas), tipo essas que vazam no Whatsapp de vez em quando... kkkk

Com a perda dos 45k, o IBOV tende a sofrer muito em 2016. Já em janeiro, o índice está tocando o fundo do canal de baixa de longo prazo, então pode ser que haja algum repique. Eu, particularmente, acho plausível o IBOV batendo os 35k em breve. Para quem gosta de gráficos, há um importante suporte histórico se aproximando (confira aqui).

A carteira d'El Rei terminou o ano assim:


Rendimento da carteira de ações: -4,26%
Acumulado no ano: -16,70%

IBOV em dezembro: -3,93% 
Acumulado no ano: -13,31%

O rendimento anual da carteira perdendo em cerca de 3% para o índice é algo preocupante. Vou monitorar isso ao longo de 2016, pois uma perda anual dessa magnitude não pode ser corriqueira, sob o risco de colocar em xeque qualquer estratégia de stock picking.

Evolução Patrimonial consolidada:

Clique para ampliar

Não houve aportes em dezembro. Em relação a proventos, o mês foi muito bom, pois recebi cerca de R$ 4.800 na conta. O dinheiro será reinvestido em janeiro, juntamente com o aporte, em TBLE3. O patrimônio anual caiu muito e agora está colado na meta.

Resumo:
Aporte do mês: ZERO
Operações: NENHUMA
Proventos: R$ 4.861,40 oriundos de BBDC4, VIVT3, TAEE11 e CCRO3 - média mensal em 2015 igual a 15,27% do salário - meta: 100%


Raimundos - Quero Ver o Oco

sábado, 26 de dezembro de 2015

[TD] O Primeiro Sexo Após a Cirurgia

Minha eleita não fica devendo em nada!

Nobre confrades da Blogosfera,

Esse é primeiro de alguns posts com relatos de fodas, aventuras e desventuras de El Rei no submundo putanhístico. Farei os relatos sem necessariamente obedecer a uma ordem cronológica, pois assim evitarei ser rastreado e ter minha identidade revelada. Procurarei fornecer detalhes do ato e da acompanhante, exceto neste primeiro, pelo motivo citado anteriormente.

A cirurgia que fiz foi uma postectomia, o que não é a mesma coisa que circuncisão. A segunda consiste na remoção total do prepúcio, por motivos prioritariamente culturais ou religiosos. Esse procedimento remonta há mais de cinco mil anos. Já a primeira, trata-se de uma remoção parcial do prepúcio por questões de saúde. No meu caso, eu tive balanites (inflamações por cândida) repetitivas por motivos de estresse, que foram desencadeadas por ineficiência do sistema imunológico após o pênis entrar em contato com a flora vaginal durante o ato sexual, sendo este feito no couro sem preservativo. Com a postectomia, em repouso, fico com um terço da glande aparente e dois terços coberta. Quando fico ereto, toda a glande fica exposta.

Era esse tipo de irritação, mas no meu caso elas ocorreram no corpo e não na glande

O procedimento foi muito tranquilo. Foram cerca de 40 minutos de cirugia em clima leve de descontração. Fiquei muito nervoso durante os 10 primeiros minutos, mas o médico logo começou a falar umas besteiras e a contar umas histórias engraçadas sobre como ele odeia a sogra dele (casa que é gostoso!). Comecei a rir e cheguei a fazer umas tiradas hilárias ("Dr, por favor, não tire tudo. Deixe um pedacinho, pois com apenas um limão eu faço uma limonada!"), o que logo reduziu meu nervosismo e cheguei a quase dormir.

A recuperação não foi fácil, mais por conta das ereções involuntárias, que pressionavam os pontos provocavam dores e até um sangramento. Após duas semanas eu já estava bem melhor. Com um mês da cirurgia, o médico liberou para a prática sexual, mas advertiu que eu poderia sentir algum incômodo. Como não aguentava mais, resolvi desbravar uma menina que eu tinha na agenda há muito tempo. Não busquei a que me ajudou a descobrir minha condição imunológica, pois transar no "ferro com ferro" de novo não está mais nos meus planos. E, uma vez que se abre de camisinha com uma mulher, esse é um caminho sem volta...

Eu sabia que ela era a gostosura em pessoa, pois, além dos diversos TDs positivos, eu também já havia feito contato no Whatsapp anteriormente e recebido fotos caseiras que ela teve a iniciativa de mandar. Sim, algumas meninas enviam fotos caseiras (mas eu nunca peço) para comprovar que as do anúncio não possuem montagens grosseiras e incentivarem o cliente a marcar. Falei com ela, expliquei o motivo de não ter marcado antes e ela achou graça... kkkk! Mas ela me encorajou e disse que com certeza eu ficaria melhor agora, que meu prazer aumentaria e que esteticamente ela acha o pau sem prepúcio mais bonito, pois teve um namorado assim. Foi ótimo esse pré-atendimento, pois minha confiança estava abalada por medo de sentir dores e também por causa de uma pequena cicatriz em alto relevo. O médico disse que a aparência ainda não é definitiva.

Marcado o motel (um ótimo no bairro de Botafogo), cheguei com meia hora de antecedência. Não liguei no pornô, pois certa vez fiz isso e estava passando uma cena da atriz Marcelinha Moraes. Essa morena é meu novo sonho de consumo (já que a Nikki Rio morreu). Ela é extremamente gostosa e estava metendo de forma animalesca, alternando cavalgadas com mamadas vorazes. Nem o ator aguentou e gozou antes da hora, sendo necessário inserir um corte na cena. O resultado foi que quando minha acompanhante chegou, eu já estava subindo pelas paredes e gozei com duas puladas dela em meu pau... huahuahua!

Mete pra caralho essa Marcelinha!


Ao chegar, pude comprovar pessoalmente que a menina corresponde fielmente às fotos. Vinte e poucos anos, loura, cabelos longos e bem cuidados, muito linda de rosto e extremamente gostosa. Chegou com uma roupa comportada, calça jeans, nada de mais. Porém, com aquele rabo imenso, não há como passar despercebida na rua. Apesar de não ser alta, certamente chama muito a atenção pelo conjunto da obra, especialmente os cabelos e rosto marcante. Veio alegre, me cumprimentou com um selinho e foi falando amenidades e, mais uma vez, voltando a me tranquilizar sobre a cirurgia, dizendo que seria minha enfermeira (rs), como se já me conhecesse de longa data. Uma simpatia!

Após os cumprimentos, eu fui tomar banho primeiro. Como já disse, sempre tomo banho na FRENTE da menina, pois isso demonstra preocupação com higiene e reduz as chances de ter seu pau chupado com camisinha, algo que só aconteceu uma única vez comigo (foi com uma modelo ficha rosa tão fresca quanto cara). Após o banho fui para o quarto de cueca e ela se dirigiu para o banheiro, mas não sem antes me presentear com um longo beijo molhado e muito caprichado. O encaixe dos lábios foi imediato e isso me deu certeza de que a coisa iria esquentar muito! Claro que El Príncipe reagiu imediatamente. Ela passou as mãos nele carinhosamente e disse que estava doida para experimentar minha pica nova (kkkk!).

Ela levou menos de 10 minutos no banheiro, mas para mim foi uma eternidade, já que a abstinência era grande e queria mais daquele beijo. Ela voltou para o quarto com uma camisola vermelha sensasional, mas eu só pensava que queria é que ela já tivesse voltado pelada. Porra, estava me sentindo um adolescente de 15 anos de novo: ansioso e nervoso. Ela percebeu isso e parece que curtiu muito! Acredito que, de certa forma, como ela estava prestes a ser uma mulher marcante em minha vida, aquilo também não deixava de ser um fetiche para ela.

Ela estava no comando e deixei que assim fosse por quase todo o encontro. Veio por cima e foram vários minutos de beijos longos, com as línguas se entrelaçando, além de mordidas leves nos lábios. Ela tem um dos melhores beijos que já experimentei e que ainda vou experimentar. Beijava e gemia baixinho, passando a mão pelo meu corpo e falando algumas palavras apimentadas. Em dado momento, foi descendo devagar e tirou minha cueca. Foi pegar no meu pau e antes me olhou, dizendo que ia ter muito cuidado (que meigo! rs). Começou um bom oral, beijando o corpo e então subindo devagar até a cabeça da rola. Elogiou o tamanho e a consistência. De fato, estava duro e nervoso como Mjölnir, o martelo de Thor. Mamou com carinho e devoção e, ao passo que fui incentivando-a, foi aumentando a velocidade e a pressão. Foi uma mamada com bastante garbo. Não senti nenhum incômodo. Ficou assim por um tempo que não sei precisar. Quando senti que o precioso estava chegando, não quis desperdiçar nas preliminares e disse que também queria fazer nela. Ela interrompeu, tirou a camisola e, para meu desespero, ao invés de largar El Príncipe, ela simplesmente veio por cima para um 69, o que deixou com calafrios, pois dificilmente iria segurar a gozada. Possui uma xoxota depilada e bem carnuda, do jeito que gosto! O clitóris é de tamanho mediano. Ela já estava excitada e não demorou muito para ficar realmente encharcada. Lambi demais explorando todos os movimentos possíveis de minha língua e ela gemeu gostoso. Consegui segurar a ejaculação meio que pensando em coisas desconexas com a situação, como a cirurgia e o trabalho... kkk! Em dado momento, ela se empolgou e levantou-se, sentando de frente em minha cara. Rebolava e mordia os lábios, esfregando o clitóris em meus lábios e me olhando de forma extremamente sensual, enquanto segurava e acariava os seios dela (grandes, de silicone, na medida certa). Fiquei pensando em quanto queria também mamar naqueles peitões. Ela estava tão excitada com as linguadas e paletadas que eu dava no grelinho, agora bem rápidas, que gozou ali mesmo, enchendo minha língua com seu mel.

Após elogiar minha performance lingual, pegou a caminsinha que estava separada ali do lado da cama e encapou El Príncipe com a boca. Não usou nenhum gel; veio por cima e foi pincelando devagar, meio que tateando, perguntando se eu estava bem. Deixou que eu fizesse o encaixe com um leve movimento pélvico, mas eu estava com dificuldade. Sentia incômodo ao tentar penetrar. A sensação era de que ela estava sem lubrificação, mas ela garantiu que estava molhadinha. Ela, então, colocou gel e tentamos novamente. Fiz a penetração com menos dificuldade, mas ainda incomodava um pouco. Não consegui embalar a transa nessa posição. Pedi para mudar, indo por cima. Antes de meter, chupei um pouco os peitões (finalmente!) enquanto dedilhava o grelinho bem devagar. Ela curtiu o carinho e retribuiu com gemidos e elogios. Fui para o PPMM e aí sim rolou! Comigo por cima e um pouco de lubrificante, eu consegui meter muito gostoso. Apenas quando fazia uma penetração mais profunda é que incomodava um pouco. Comecei devagar e, conforme fui pegando confiança, aumentei o ritmo das estocadas, enquanto ela ora me segurava firme na cintura, ora me incentivava a meter mais dando leves empurrões e tapas na bunda (algo que me excita demais!). Fomos metendo e beijando assim por alguns minutos até que, inevitavelmente, gozei com muita força! Foram nove jatos de porra contados, além de contrações secundárias menores e deliciosas. Estava em êxtase e fiquei uns bons minutos como que com o corpo inteiro em uma espécie de dormência relaxante...

Ela foi se lavar e eu não consegui sair da cama de imediato. Ao retornar, rolou um papo muito agradável. Foram histórias sobre viagens, relacionamentos e casos engraçados. Pedi almoço e antes de chegar fui tomar banho. Almoçamos e conversamos mais. Ela tem um espírito jovial e mui cativante!

Estômago forrado, voltamos para a cama. Conversávamos, com ela abraçada comigo, enquanto eu acariava os cabelos. El Príncipe começa a dar sinais. Na verdade, ele acordou "bravo", o que motivou um elogio em forma de piada descontraída da parte dela (rs). Começamos a nos beijar da mesma forma entrosada e prazerosa de antes. O pau ficou muito duro e senti uma pequena dor. Não falei nada para não estragar o clima, mas fiquei um pouco tenso. Ela percebeu, mas achou que fosse a mesma insegurança que rolou no início da primeira transa. Após vários beijos deliciosos, foi novamente para o oral, dessa vez explorando mais o saco e alternando com punhetas, enquanto trocávamos olhares. Só posso dizer que a carga de erotismo estava tão alta que esqueci do pequeno incômodo que estava sentindo e deixei-a trabalhar por vários minutos. Ela veio por cima, oferecendo os peitões para eu mamar e assim o fiz por um bom tempo. Enquanto eu chupava os lindos seios, ela manipulava El Príncipe com muita cautela, mas, mesmo assim, eu sentia que havia algo errado. Decidi não prolongar muito as preliminares. Disse que estava louco de tesão e pedi camisinha. Ela encapou novamente com a boca, passou gel e perguntou como eu queria. Pedi de quatro e assim ela empinou a maravilhosa bunda para mim. Antes de meter, contemplei aquele rabo perfeito e fiz elogios. Chupei-a nessa posição por um breve tempo e então penetrei-a. Mesmo com gel, eu sentia um pouco de dor. Não quis demonstrar esse desconforto e continuei bombando, mas com um ritmo mais ameno. Acho que ela percebeu que eu não estava sentindo só prazer, pois não estava me incentivando a meter mais rápido como antes, mas também não falou nada.

Após alguns minutos, pedi para mudar para o PPMM. Ela colocou mais um pouco de gel. Eu meti, mas sentia que doía quando tentava colocar tudo. Foi aí que fiz a grande merda de tentar penetrar profundamente, até o parapeito, mesmo com dor... Num dado momento, senti uma grande fisgada na rola! Realmente, doeu bastante e não deu para disfarçar. Tirei de dentro num ato reflexo, mas continuei por cima dela, que ficou preocupada. Na verdade, eu também estava preocupado com ela, pois a sensação que tive foi a de que dei uma estocada de mal jeito (daquelas onde a pica entra meio enviesada) e que ela também havia se machucado. Então ficamos um perguntando para o outro se estava tudo ok... rs esclarecido que ela estava bem, eu deixei claro que ela não havia feito nada de errado, que estava maravilhosa e que eu que forçara os limites. Óbvio que o pau desceu, pois além da dor, o clima foi quebrado. Ela amenizou o ocorrido, disse que não havia necessidade de eu forçar nada, que deveria ter cuidado e fez algumas brincadeirinhas.

Porém, eu voltei a ficar tenso quando fui tirar a caminsinha: ela estava vermelha de sangue! Isso mesmo! Um vaso se rompeu na região do freio (atrás da glande) e algumas gotas de sangue saíram. Até eu constatar que não era nada grave, um filme passou pela minha cabeça. Porra, e agora??? Após lavar, vi que a pele naquela região estava bem fina e sensível ainda. Eu não estava totalmente pronto ainda. Médico FDP... rsrsrs

Minha reação ao observar El Príncipe ferido e ensanguentado no campo de batalha

Lavei-me, desculpei-me, ela voltou a amenizar o fato. Ela tomou banho também, mas não vestiu a roupa de imediato, pois ainda faltavam uns 30 minutos para acabar o tempo, venstindo-se somente após eu ligar para pedir a conta. Paguei e descemos juntos. Nos despedimos com um beijo gostoso no elevador. Duas horas depois, ela me chama no Whatsapp para saber se estou bem. Disse para eu não ficar preocupado e que deveria rir daquilo. Mulher fantástica!

De um modo geral, o TD foi fodástico. Não tenho absolutamente nenhuma reclamação da moça. Linda, educada, comprometida com o TD, carinhosa e espirituosa. É um sopro de encanto e jovialidade que todo homem 30+ deseja. Vai ter repeteco com certeza, assim que passar as festas de fim de ano. O ferimento já sarou.

É isso meu povo, este foi o retorno d'El Rei ao submundo putanhístico! Infelizmente, não foi tudo perfeito, mas creio que em breve estarei 100% recuperado.

Um abraço!

George Ezra - Budapest (uma das minhas love songs!)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Atualização Mensal - Novembro de 2015



Salve meu povo!

Atualização atrasada deviso a mais revezes. Minha vida nesse ano de 2015 está parecendo a novelinha de sucesso da Rede Record, Os Dez Mandamentos. Porra, toda hora é uma praga nova que aparece! Haja paciência! Estou louco para que 2016 chegue logo, pois 2015 é pra esquecer completamente.

O Ibov começou o mês de novembro eletrizante. Achei até que fosse zerar as perdas do ano. Ledo engano. Tudo devolvido na última semana. Mercado lateralizado há 4 meses. Chato pra quem já comprou quase tudo o que tinha que comprar. Bom para quem está se posicionando. Nem o processo de impeachment contra a presidANTA fez o mercado se animar...

Minha reação ao esperar o IBOV disparar após o pedido de impeachment ser aceito
O ano vai se encerrar com uma redução drástica dos meus aportes. Grande parte por conta das pragas que apareceram. Para 2016, minha expectativa também é segurar os aportes, mas para reforçar e aumentar a reserva para emergências. Acho que o ano vai ser muito difícil para os servidores públicos de todas as esferas e poderes. Quem é servidor e não tem poupança, faça agora.

Sobre a operação em El Príncipe, deu tudo certo. Só aguentei ficar cinco dias sem punheta. Assim que diminuiu um pouco um inchaço, mandei uma no pau cheio de pontos mesmo. Senti mais dor do que prazer, mas pelo menos aliviou a tensão. Tive que trocar as cuecas para não sentir incômodo devido a falta de parte do prepúcio. Vou testar a performance agora em dezembro. Dieta e atividade física estão de lado.

Vamos aos números:




Rendimento da carteira de ações: -0,68%
Acumulado no ano: -13,00%

IBOV em novembro: -1,63% 
Acumulado no ano: -9,77%

Vôo de galinha do IBOV marcou novembro. Ao menos a carteira caiu menos que o índice, mas no anual estou apanhando muito. Com o aporte de R$ 5 mil mais o dinheiro em caixa, adquiri mais 200 TBLE3. Rentabilidades de acordo com a planilha do ADP

Evolução patrimonial consolidada:


Patrimônio próximo à estabilidade graças ao aporte de R$ 5 mil. Para 2016, as metas de aporte foram revistas devido à iminente possibilidade e quebra das finanças governamentais.

Resumo: 
Aporte do mês: R$ 5.000,00
Operações: compra de 200 TBLE3 a R$ 35,51 
Proventos: R$ 258,06 oriundos de BBDC4 e GGBR4 - média mensal em 2015 igual a 13,35% do salário - meta: 100%

Simple Minds - Alive And Kicking

domingo, 1 de novembro de 2015

Atualização Mensal - Outubro de 2015


Salve confrades da Blogosfera!

Mais uma etapa cumprida. O mês de outubro foi marcado por um grande rally das ações no início do mês, mas que foi esfriando ao longo das semanas. O IBOV que chegou a beirar os 50k, fechou apenas em 45.870 pontos. Muito morno, em minha opinião.

No lado pessoal, estou progredindo lentamente no lado físico. Após ficar um mês sem nenhuma mudança no peso, consegui ganhar 1Kg em outubro. Também aumentei cargas e sinto que estou trabalhando no limite. Na primeira semana de novembro farei avaliações tanto com o personal quanto com a nutricionista. Pretendo postar a evolução aqui, como forma de incentivo para mim e para os leitores.

Mas nem tudo são flores... infelizmente, vou precisar parar por um mês inteiro com a atividade física. O motivo: El Príncipe voltou a ficar infestado. E antes que eu tivesse a chance de esvaziar a mamadeira! O médico vai operar e já fiz até exames. Estou desanimado por ter que interromper a musculação. Mas como sou um ser rebelde, vou desobedecê-lo, pois comprei uma barra fixa para instalar na área da piscina. Não posso perder o ritmo. Não agora!

Minha reação ao saber que vou ter que ficar cerca de um mês sem ao menos bater uma punhetinha, algo que não acontece desde os meus setes anos de idade

Desabafo feito, vamos aos números:


Rendimento da carteira de ações: +2,49%
Acumulado no ano: -12,50%

IBOV em outubro: +1,80% 
Acumulado no ano: -8,28%

Após foguetar mais de 5% nas primeiras semanas, a carteira e o IBOV deram uma arrefecida. Mas o fechamento foi satisfatório e deu uma aliviada nesse semestre sangrento. Acho difícil recuperar o patamar de 600k nos últimos dois meses do ano. Com um aporte de R$ 2 mil e dinheiro em caixa, adquiri mais 200 TBLE3. Rentabilidades de acordo com a planilha do ADP.

Evolução patrimonial consolidada:

Evolução patrimonial de +2,48% com um pequeno aporte de R$ 2 mil, valor muito inferior ao que eu aportava alhures. Acredito que em 2016 devo voltar a aportar cerca de R$ 5k  mensais.

Resumo: 
Aporte do mês: R$ 2.000,00
Operações: compra de 200 TBLE3 a R$ 33,54
Proventos: R$ 2.893,26 oriundos de BBDC4 e CCRO3 - média mensal em 2015 igual a 14,49% do salário - meta: 100%
Enjoy Tom Sawyer performed by Rush




Forte abraço d'El Rei!


segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Quem contrata GPs?



Post curtinho apenas com o depoimento da GP famosa da vez comprovando quem são os maiores consumidores do mercado de serviços de acompanhantes. Chorem acéfalos que insistem em bostejar que apenas homens fracassados pagam por sexo!


Apenas um alerta para as meninas que acham que a vida das GPs é fácil. Vou fazer um post comentando sobre as dificuldades que minhas acompanhantes mais íntimas me relatam.

sábado, 3 de outubro de 2015

Atualização Mensal - Setembro de 2015

Karoline Schwonke: a nova gostosa do Pânico

Olá nobres confrades da Blogosfera Financeira!

Chegamos a mais um fechamento mensal, com outro mês bem ruim para renda variável. A porrada foi grande, mas ao menos o IBOV conseguiu se segurar na faixa dos 45k, o que pode ser considerado um alento, dadas as atuais circunstâncias do mercado. Com esse suporte mensal reforçado, tudo leva a crer em forte repique para o mês de outubro. Peço paciência aos colegas, pois apesar do noticiário altamente repleto de notícias negativas, se a bolsa estivesse refletindo corretamente o pessimismo generalizado que está sendo propagado, eu duvido que o IBOV estaria com queda anual de apenas -9,89%. Se é para ter quedas, elas ainda estão apenas começando.

O mês foi muito bom, com acontecimentos que me deixaram bem feliz e esperançoso. Destaque para o Rock in Rio! Curti muito três dias do festival e ficou um gostinho de "quero mais" após o encerramento (ou depressão pós-RIR, como está sendo chamado nas redes sociais). Shows do Metallica (apesar dos problemas pontuais com o som) , Korn, Angra, A-ha e Steve Vai (pena não ter tocado Tender Surrender) foram memoráveis. Falando em Angra, a participação de Dee "Fucking" Snider simplesmente foi demais. Que energia que esse cara tem! O palco ficou pequeno pra ele! E o Slipknot?! Com certeza, naquela noite, a expressão Hell de Janeiro nunca fez tanto sentido. Os caras apenas abriram os portões do inferno na Cidade do Rock!




Para a minha alegria (e das GPs do RJ), El Príncipe está com a saúde restabelecida. Bastou ter mais cuidado para ele não ficar úmido após o banho e depois de mijar, além de usar um creme prescrito pelo médico. Espero que essa merda de cândida não apareça mais, pois estou com sangue nos olhos para foder. A sede é tanta que acho que uma GP só não vai bastar. É senhores, vai rolar mènage em outubro!


Posição atual da carteira de ações d'El Rei:





Rendimento da carteira de ações: -6,52%
Acumulado no ano: -13,94%

IBOV em setembro: -3,36% 
Acumulado no ano: -9,89%

Mais sangue e o patamar dos 500k muito próximo de ser perdido. A diferença de rentabilidade da carteira para o IBOV começa a ficar evidente e relevante pela primeira vez na história do blog, muito pela performance ruim dos bancos. Sigo com o plano e acredito na recuperação de todas as empresas da carteira.

Evolução patrimonial consolidada:


Evolução patrimonial também com queda de -6,52%, já que não houve aporte, deixando o patrimônio atual perto da evolução projetada. Já foi ventilado aqui no blog que essa projeção deveria ser revista, pois ela estava muito aquém da performance da carteira. Está provado que não é bem assim. No mais, o mês foi muito bom em termos de proventos recebidos, mas por enquanto a média mensal está inferior à do ano passado.

Resumo: 
Aporte do mês: ZERO
Proventos: R$ 4.469,70 oriundos de BBDC4, GGBR4, TBLE3, TAEE11 e CIEL3 - média mensal em 2015 igual a 13,62% do salário - meta: 100%

For the Love of God: Steve Vai fazendo amor com sua guitarra

Um abraço!